Estrias, Poxa!

De  |  2 Comentários

Oi meninas, 

Continuando nosso projeto em busca de um corpo melhor #projetomagra, hoje vamos falar de mais um terror para a mulherada que é a estria, ou aqueles “mapinhas” que aparecem em lugares indesejáveis. Para quem ainda não sabe, tenho uma filha de 2 anos e 5 meses, na gravidez engordei muuuito e, apareceu estrias na barriga, conheci o Espaço Estética nesse momento, onde comecei um tratamento contra elas, carboxiterapia. E confesso meninas, uma vez no Espaço Estética, sempre no Espaço Estética, porque é viciante, quando você descobri as maravilhas que se faz lá! Estou muito satisfeita com o tratamento das meninas com meu corpitcho!!!!

A Karla queridíssima, vai falar um pouco sobre isso…

Olá leitores do CA.NO.MA!

Estrias-duvidas

 

Estou aqui hoje para falar de uma alteração na pele que deixa marcas definitivas: as estrias.

As estrias são alterações cutâneas indesejáveis, definidas como cicatrizes lineares visíveis que se dispõem paralelamente umas as outras, podendo ser raras ou numerosas. Elas se formam devido ao rompimento das fibras elásticas da pele, decorrente de um desequilíbrio elástico localizado. Com o tempo, forma-se uma espécie de “cicatriz” no local.

A maior incidência se dá no gênero feminino, sendo os principais locais de surgimento as nádegas, o quadril, a região lombar, a barriga e os seios.

Há evidências que o seu aparecimento seja multifatorial, não somente fatores mecânicos e endocrinológicos, mas também predisposição genética e familiar.

Vamos falar um pouco de cada fator associado:

• Genética: a elasticidade e a resistência da pele são características herdadas. Se sua Mãe ou a sua Avó apresentavam uma pele mais resistente e elástica, a chance de ter estrias diminui;

• Alterações Hormonais: os hormônios femininos podem levar a alterações das proteínas da pele, aumentando o risco do aparecimento das estrias;

• Gravidez: aparecem as estrias caso não haja um controle adequado do peso. Surgem na região de abdômen, quadril e interno de coxas. Os seios são um local muito comum devido à produção de leite. A mama dilata muito e esvazia rapidamente com a amamentação;

• Alterações de peso: o famoso “efeito sanfona” favorece o estiramento da pele, com consequente ruptura das fibras elásticas;

• Uso de corticoides: provocam a redução da elasticidade da pele;

• Musculação: nesse caso, os mais afetados são os homens. Quando exageram nos exercícios, o aumento muscular força as fibras, que se rompem.

 

As estrias podem ser classificadas em dois tipos:

– Rosadas: são as estrias que se formaram mais recentemente, apresentando essa coloração devido ao rompimento dos vasos sanguíneos da região. Nessa fase, os tratamentos costumam fornecer resultados mais satisfatórios.

– Nacaradas: são as estrias antigas, nas quais já ocorreu a formação da fibrose (ou cicatriz). Nessa fase, elas são esbranquiçadas. Os tratamentos conseguem promover seu estreitamento ou atenuação.

 

Infelizmente, ainda não existe cura para as estrias, porém com os tratamentos disponíveis atualmente consegue-se suavizar, e muito, essas linhas que deformam a pele. Os recursos utilizados por nós Fisioterapeutas, oferecem mudanças morfológicas, histoquímicas e funcionais do aspecto atrófico e da coloração das estrias, tanto num ponto de vista microscópico como macroscópico, o que oferecem uma melhora do aspecto cutâneo, da autoestima e bem estar do paciente.

 

Antes de falarmos sobre o tratamento, é importante enfatizarmos o papel da prevenção, já que, mesmo com as terapias mais modernas, é impossível eliminar completamente as estrias. Então leitores… mesmo observando todas as recomendações, o risco ainda existe.  Mas isso não deve desanimar você! Com certeza, o número e o tamanho das estrias será significativamente menor.

As recomendações são as seguintes:

• O principal é manter o corpo bem hidratado. Beba pelo menos 2 litros de água por dia e use um creme hidratante à base de água. Esses cremes devem ser ricos em emolientes à base de colágeno, elastina, lipossomas, alfa-hidroxi-ácidos, ureia, lactato de amônia e óleos vegetais. A melhor lubrificação melhora a resistência da pele contra a ruptura das fibras;

• Usar sempre protetor solar;

• Evitar oscilações muito grandes no peso;

• Ativar a circulação da pele é importante, com massagens como a Drenagem Linfática Manual;

• Evitar o uso de roupas apertadas e o tabagismo;

• Praticar atividades físicas regularmente, mas com moderação nas atividades anaeróbicas, como a musculação;

• Utilizar sutiãs adequados, pois ajudam a sustentar o peso dos seios;

• Alimentar-se bem, ingerindo quantidades adequadas de frutas e vegetais. A vitamina C presente nesses alimentos é um importante antioxidante e ajuda na formação das proteínas da pele.

 

estrias

 

Enfim chegamos aos tratamentos que a Fisioterapia Dermato- Funcional oferece.

Existem várias técnicas eficientes para amenizar as estrias. Os melhores resultados vem da combinação de pelo menos duas delas.

– Uso de Ácidos ou Peeling Químico: os ácidos mais utilizados são o glicólico, retinóico e o ascórbico (vitamina C). Eles provocam uma esfoliação profunda na pele, com posterior regeneração dos tecidos, estimulando produção de colágeno e elastina. Aumenta a hidratação da pele, são poderosos antioxidantes.

O tratamento envolve várias aplicações, e pode causar ardência, coceira e descamação. É importante lembrar que durante o tratamento deve ser evitada a exposição ao sol.

– Microdermatoabrasão: Utiliza-se um aparelho capaz de esfoliar (“lixar”) a pele, com uma ponta de cristal ou diamante. Ocorre a descamação da pele que recobre a estria, estimulando sua regeneração. O tratamento é feito em algumas sessões, e os efeitos podem ser os mesmos obtidos com o Peeling Químico. Média de 20 sessões.

– Eletrolifting ou Galvanopuntura: é uma técnica que utiliza uma agulha muito fina em associação com corrente elétrica (galvânica), com o intuito de estimular a produção de novas células de colágeno e elastina e ainda aumentar a nutrição local. Média de 20 sessões.

A aplicação é feita uma vez na semana, com uma média 20 sessões. Não pode tomar sol, durante 15 dias subsequentes a aplicação.

 

– Carboxiterapia é uma técnica de tratamento não cirúrgica, na qual o gás carbônico (CO2) é injetado no tecido subcutâneo, com uma agulha muito fina.

O gás carbônico provoca um processo inflamatório, que responde com o aumento da circulação e oxigenação dos tecidos, aparecimento de um leve edema e hiperemia, a fim de aumentar a capacidade de produção dos fibroblastos e, consequentemente a produção de fibras colágenas e elásticas na pele estriada.

O tratamento é realizado uma vez na semana, média de 20 sessões. Não pode tomar sol, durante 15 dias subsequentes a aplicação.

 

A Clínica Espaço Estética oferece todos esses recursos descritos acima. A avaliação é gratuita!

Aguardamos vocês e me disponibilizo para esclarecer qualquer dúvida (3831- 3536).

 

Dra Karla Tolentino

Fisioterapeuta

Especialista em Dermato- Funcional

Sócia- Proprietária da Clínica Espaço Estética

O Espaço Estética sempre tem promoções mensais, minha dica é ir lá conferir… E esse mês são essas:


promocoes promocoes2

Beijos

2 Comentários

  1. viviane zuliani da silva

    22/04/2013 at 11:07 am

    Karla querida ,estou louca de vontade de voltar a fazer o tratamento com a carboxi de novo.estou muito satisfeita com os resultados.em breve estarei ai.

    • Camila Roza

      22/04/2013 at 11:11 am

      Viviane, tratamento com os melhores resultados não é?! Amo carboxiterapia!!! Beijos

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.